domingo, 30 de janeiro de 2011

Façamos a diferença!

Era uma vez um escritor que morava em uma tranquila praia, junto de uma colônia de pescadores. Todas as manhãs ele caminhava à beira do mar para se inspirar, e à tarde ficava em casa escrevendo.

Certo dia, caminhando na praia, ele viu um vulto que parecia dançar. Ao chegar perto, ele reparou que se tratava de um jovem que recolhia estrelas-do-mar da areia para, uma por uma, jogá-las novamente de volta ao oceano.

"Por que está fazendo isso?"- perguntou o escritor.
"Você não vê! - explicou o jovem - A maré está baixa e o sol está brilhando. Elas irão secar e morrer se ficarem aqui na areia".

O escritor espantou-se. "Meu jovem, existem milhares de quilômetros de praias por este mundo afora, e centenas de milhares de estrelas-do-mar espalhadas pela praia. Que diferença faz? Você joga umas poucas de volta ao oceano. A maioria vai perecer de qualquer forma.

O jovem pegou mais uma estrela na praia, jogou de volta ao oceano e olhou para o escritor.
"Para essa aqui eu fiz a diferença.".

Naquela noite o escritor não conseguiu escrever, sequer dormir. Pela manhã, voltou à praia, procurou o jovem, uniu-se a ele e, juntos, começaram a jogar estrelas-do-mar de volta ao oceano.

Sejamos, portanto, mais um dos que querem fazer do mundo um lugar melhor. Façamos a diferença!

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Astrônomos descobrem galáxia mais distante já detectada

Um grupo de astrônomos descobriu uma galáxia que pode ser a mais distante detectada até o momento. Ela está situada a cerca de 13,2 bilhões de anos-luz, segundo estudo publicado pela revista científica Nature. Uma equipe de astrônomos que analisava imagens cósmicas registradas pelo telescópio espacial Hubble aumentou seu alcance até 480 milhões de anos após o Big Bang, quando o Universo tinha 4% de sua idade atual. “Estamos nos aproximando das primeiras galáxias, que achamos que foram formadas entre 200 milhões e 300 milhões de anos depois do Big Bang”, ressaltou Garth Illingworth, professor de astronomia e astrofísica da Universidade da Califórnia (EUA) e um dos autores do estudo. Em sua pesquisa, Illingworth e Rychard Bouwens, da Universidade de Leiden (Holanda), utilizaram dados do Hubble reunidos pela câmara Wide Field Camera 3 (WFC3).

Os astrônomos observaram as mudanças que se produziram nas galáxias de 480 milhões a 650 milhões de anos depois do Big Bang e detectaram que a taxa de nascimento das estrelas no Universo aumentou cerca de dez vezes durante esse período de 170 milhões de anos. Para Illingworth, isso é um “aumento assombroso em um período de tempo tão curto, somente 1% da idade atual do Universo”.

Os astrônomos também registraram mudanças significantes no número de galáxias detectadas. “Nossas buscas anteriores tinham encontrado 47 galáxias quando o Universo possuía cerca de 650 milhões de anos”, disse Illingworth. Ele acrescentou que “o Universo está mudando muito rapidamente em um período de tempo muito curto”.

Já Bouwens afirmou que os resultados dos estudos são consistentes com a imagem hierárquica da formação das galáxias, segundo a qual estas cresceram e se uniram sob a influência gravitacional da matéria escura.

Para chegar à nova descoberta, os astrônomos calcularam a distância de um objeto no espaço com base em seu “deslocamento rumo ao vermelho”, fenômeno que ocorre quando a radiação eletromagnética - normalmente a luz visível - que se emite de um objeto tende ao vermelho no final do espectro.

Sua medida é considerada pela comunidade astronômica internacional como o procedimento mais confiável para calcular distâncias espaciais - a galáxia recém-descoberta alcançou um nível provável de “redshift” (desvio rumo ao vermelho) de 10,3 pontos.

Os especialistas acrescentaram que a galáxia em questão é pequena se for comparada às enormes já vistas no Universo, como a Via Láctea, pelo menos cem vezes maior.

(Folha.com)

Nota: Continuam no ar as perguntas: Como pode haver número tão grande de estrelas num Universo tão “jovem”? Como é possível explicar, segundo a teoria da “evolução” das galáxias, a existência de galáxias perfeitamente formadas, “adultas”, em tão pouco tempo, segundo a escala de tempo adotada para o Universo? Não duvido de que o Universo possa ter os alegados bilhões de anos, mas imagino que, assim como Adão e Eva pouco depois de serem criados aparentavam idade adulta, Deus possa ter criado no início do Universo estrelas e galáxias perfeitamente formadas, projetadas para conter sistemas solares e planetas habitáveis.

Leia também: "Galáxias velhas num universo jovem"

Criacionismo

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Culpa

Casa Publicadora Brasileira – Lição 512011

Verso para Memorizar: “Se Tu, soberano Senhor, registrasses os pecados, quem escaparia? Mas contigo está o perdão para que sejas temido” (Salmo 130:3, 4, NVI).


Leituras da semana: Gn 3:8-13; 1Jo 1:9; Sl 32; 1Tm 4:1, 2; Mt 26:75; Rm 8:1

O senso de culpa é uma das experiências emocionais mais dolorosas e incapacitadoras. Pode provocar vergonha, medo, tristeza, raiva, angústia e até enfermidade física. Embora frequentemente sejam desagradáveis, esses sentimentos podem ser usados por Deus para levar os pecadores ao arrependimento e ao pé da cruz, onde podem achar o perdão tão desejado. Às vezes, porém, o mecanismo da culpa faz com que as pessoas assumam a culpa por algo pelo que não são responsáveis, como no caso de alguns sobreviventes de acidentes ou filhos de pais divorciados.


Mas quando o senso de culpa é justificado, serve como boa consciência. A culpa produz desconforto suficiente para levar a pessoa a fazer algo sobre ela. Dependendo das escolhas pessoais, a culpa pode ser altamente destrutiva, como no caso de Judas, ou altamente positiva, como no caso de Pedro.


Nesta semana, vamos estudar quatro relatos bíblicos de culpa a fim de entender melhor esse processo e ver o que podemos aprender sobre ela, se for corretamente canalizada. Podemos ver como a culpa pode ser usada pelo Senhor para nosso proveito. Tudo depende, realmente, de nossa atitude em relação à culpa que sentimos e o que fazemos com ela.


Vergonha

1. Como Adão e Eva manifestaram a culpa que sentiram? Qual foi o problema com a reação de Adão? Gn 3:8-13


A culpa foi a primeira emoção adversa sentida pelos seres humanos. Logo depois que Adão e Eva pecaram, seu comportamento mudou. Eles “esconderam-se da presença do Senhor Deus entre as árvores do jardim” (v. 8. NVI). Essa reação sem precedentes indicou medo de seu Pai e Amigo e, ao mesmo tempo, vergonha de enfrentá-Lo. Até a queda, eles achavam alegria na presença de Deus, mas agora, escondiam-se ante Sua aproximação. Um bonito elo estava quebrado. Além de medo e vergonha, eles sentiam tristeza, especialmente ao serem informados das terríveis consequências de terem desobedecido a Deus.


Note as palavras de Adão e Eva: “Foi a mulher que me deste por companheira” e “A serpente me enganou...” (NVI). A culpa provoca uma reação aparentemente automática de colocá-la em outra pessoa ou justificar o próprio comportamento com argumentação. Sigmund Freud, fundador da psicanálise, chamava essa reação de “projeção” e afirmava que as pessoas projetam sua culpa sobre os outros ou sobre as circunstâncias a fim de aliviar o fardo da culpa. Essa “projeção” é considerada um mecanismo de defesa. Mas o ato de lançar a culpa sobre os outros não contribui para as relações interpessoais e constitui uma barreira para o perdão de Deus. A verdadeira solução consiste em aceitar a plena responsabilidade pelas próprias ações e buscar o único Ser que pode fornecer libertação da culpa: “Portanto, agora já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus” (Rm 8:1, NVI).


Às vezes, as pessoas sofrem de culpa pelas razões erradas. Parentes próximos daqueles que cometem suicídio, sobreviventes de um grande acidente ou calamidade e filhos de um casal recém-divorciado, na maioria dos casos, são exemplos típicos de culpa infundada. As pessoas que estão nessas situações precisam ter a certeza de que não podem ser consideradas responsáveis pelo comportamento de outros ou por eventos imprevisíveis. E se, em certos casos, eles tiverem alguma culpa, devem assumir a responsabilidade por suas ações, buscar perdão daqueles a quem ofenderam e, então, apegar-se a promessas bíblicas como: “Quanto dista o Oriente do Ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões” (Sl 103:12).

Como você reage à culpa? Você é rápido, como foi Adão, em culpar os outros por suas ações erradas? Como você pode aprender a fazer face às coisas que fez erradas e então, pela graça de Deus, avançar?


Angústia dos irmãos de José

2. Que lembrança particular provocadora de remorso continuava na mente dos irmãos de José? Gn 42:21. O que isso nos revela sobre eles?

A culpa está associada a uma ocorrência particular do passado, às vezes, uma imagem ou um breve evento, que tende a ser revivido mentalmente. Outras ocasiões, toma a forma de uma imagem retrospectiva que invade a mente ou aparece em sonhos ou pesadelos. A imagem do José adolescente implorando por sua vida diante de seus irmãos mais idosos deve ter assomado à mente dos filhos de Jacó vez após vez.

3. De que outra forma a culpa afetava os irmãos de José? Gn 45:3


Os que são afetados pela culpa pensam nela repetidamente, lamentando o que fizeram, mostrando medo pelas consequências e se recriminando. Essas reflexões produzem muita angústia, frustração e ira contra si mesmo por não ter agido de maneira diferente. Infelizmente, não importa quanto tempo seja dedicado a esses pensamentos, o passado permanecerá inalterado. Falta arrependimento e perdão. O nobre caráter de José emerge, no fato de que ele ofereceu perdão e encorajou seus irmãos a deixar de se zangar consigo mesmos. Ele lhes assegurou que a ocorrência dos eventos era plano de Deus para salvar muitas vidas. No entanto, o fato de que Deus pôde usar sua má ação para o bem não os isentou de um crime horrível.

4. Como a obediência ao que está nestes versos nos ajuda a lidar com a culpa? Tg 5:16; 1Jo 1:9


Todos os pecados causam dor ao pecador e a Deus. Muitos pecados envolvem também outras pessoas. Cada canto do triângulo (Deus–Outros–Eu) precisa ser trabalhado a fim de trazer uma solução para os males passados. João nos diz que Deus está preparado para perdoar e para nos purificar da injustiça.


Além disso, Tiago nos diz que devemos confessar os pecados uns aos outros; devemos fazer isso, especialmente a quem ofendemos.


Força enfraquecida

5. Leia o Salmo 32. O que aprendemos sobre culpa e confissão? O que Davi quis dizer por “calei os meus pecados”? Que acontece quando a pessoa se cala? Qual foi a solução de Davi para sua culpa?

A confissão honesta faz bem à consciência e, aparentemente, também para o corpo. A linguagem de Davi sugere claramente que seu estado mental de culpa também estava provocando dor física: “envelheceram os meus ossos” (v. 3) e “minhas forças foram-se esgotando” (v. 4, NVI). Hoje, os profissionais de saúde reconhecem a íntima relação entre o estresse psicológico e as doenças físicas. Há décadas, a expressão “doença psicossomática” tem sido parte da linguagem dos profissionais de saúde, e se refere aos sintomas físicos provocados principalmente por processos psicológicos. Mais recentemente, o campo da psiconeuroimunologia identificou o papel-chave que exercem os estados mentais na proteção do nosso corpo ou em sua exposição às doenças.


A culpa, como qualquer outra emoção adversa forte, provoca a imediata deterioração do comportamento e pode, a longo prazo, destruir a saúde física. Mas para aqueles que conhecem o Senhor, não há necessidade de colocar-se em risco. O testemunho de Davi revela o antídoto para a culpa: “Confessei-Te o meu pecado. ... e Tu perdoaste a iniquidade do meu pecado” (v. 5).


Assim, a vergonha, o remorso, a tristeza e a desesperança provocados pela culpa podem desaparecer pelo perdão maravilhoso do Senhor, e, em seu lugar, podem vir alegria e felicidade (v. 11).

6. Leia 1 Timóteo 4:1, 2. Que significa ter “cauterizada a própria consciência”?

Paulo advertiu Timóteo a respeito de indivíduos que ensinariam aos fiéis doutrinas estranhas. Eles fariam isso porque sua consciência estaria “morta como se tivesse sido queimada com ferro em brasa” (v. 2, NTLH). Assim como o fogo pode queimar os terminais nervosos e deixar insensíveis certas partes do corpo, a consciência também pode ser cauterizada: (a) Pela repetida violação de princípios corretos até que não sobre nenhum senso de injustiça, (b) Por fortes influências ambientais que levem a pessoa a considerar os erros com indiferença ou até como algo bom.

Existem coisas que no passado o aborreciam e que hoje não mais o perturbam? Nesse caso, isso pode ser uma consciência cauterizada em ação? Tente pensar nas coisas que você faz e que não aborrecem sua consciência, mas que talvez devessem incomodá-lo.


Pranto doloroso

7. O que tornou tão grande o senso de culpa de Pedro? Você já teve uma experiência semelhante? Nesse caso, o que você aprendeu dela que poderia levá-lo a evitar cometer um engano semelhante? Mt 26:75


Em duas ocasiões, Pedro declarou a intenção de ser firme e nunca negar o Mestre. Sua segunda afirmação foi dada mesmo depois que o Senhor predisse que ele O negaria três vezes naquela mesma noite. Horas mais tarde, duas mulheres identificaram Pedro como um dos discípulos de Jesus, e ele negou o Senhor mais uma vez. Então, um grupo de servos da casa do sumo sacerdote o identificou, e ele exclamou: “Não sou” (Jo 18:25). Note que os acusadores (menores, mulheres, servos) eram considerados de baixa posição social. Mais tarde, isso deve ter aumentado a vergonha e a culpa de Pedro.


O ponto crucial, porém, é que o pranto de Pedro o levou ao arrependimento, à mudança de coração e à verdadeira conversão, embora o processo em si tenha sido doloroso. Às vezes, é isso que nos falta: precisamos nos ver como realmente somos, ver o que realmente está em nosso coração, e como somos capazes de demonstrar deslealdade – e então, cair, quebrados como Pedro, diante do Senhor.


“Com lágrimas que o cegavam, abriu caminho para a solidão do Jardim do Getsêmani e lá se prostrou onde vira seu Salvador prostrado quando o suor de sangue vertia de Seus poros por causa de Sua grande agonia. Pedro se lembrou com remorso de que dormia quando Jesus orava durante aquelas horas horríveis. Seu coração orgulhoso se partiu, e lágrimas penitenciais molharam o solo recentemente manchado com as gotas de suor sangrento do querido Filho de Deus. Um homem convertido deixou o jardim. Estava pronto, então, para se condoer dos que são tentados. Ele tinha humilhado e podia simpatizar-se com os fracos e com os que erram” (Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, v. 3, p. 416).


A primeira metade do livro de Atos provê um testemunho inquestionável da transformação de Pedro. Sua pregação e liderança e seus atos miraculosos foram extraordinários e levaram à salvação de muitos. Seu trabalho também levou à fundação da igreja como corpo de Cristo. Sua morte, predita por Jesus em João 21:18, foi recebida como uma honra, pois ele morreu da mesma forma que seu Mestre.

Suas quedas e fracassos o tornaram mais sensível às quedas e fracassos de outros? Como sua angústia pode ajudá-lo a ministrar a outros em suas aflições?


Perdão total

8. “Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito” (Rm 8:1, ARC). O que este texto promete? Como podemos nos valer dessa promessa?


O perdão de Deus é tão grande, tão profundo e tão amplo que é impossível entendê-lo completamente. Nem mesmo a melhor qualidade de perdão humano pode ser comparada com o de Deus. Ele é tão perfeito, e nós somos tão falhos! Mas, pela provisão que o próprio Deus fez em Jesus, todos podemos ter pleno e completo perdão no momento em que reclamarmos as promessas mediante plena entrega ao Senhor.

9. Leia os três textos abaixo. Como eles nos ajudam a entender o perdão de Deus?
a) Sl 103:12
b) Is 1:18
c) Mq 7:19

A Bíblia usa alegorias do reino concreto e familiar a fim de nos ajudar a entender o significado de conceitos difíceis. Até onde podemos perceber, a neve e a lã são bons exemplos de brancura; as profundezas do mar estão entre os lugares mais profundos que podemos imaginar; e nada pode estar geograficamente mais distante e separado que o leste do oeste. Mas essas são alegorias limitadas do perdão de Deus. Na Abadia de Elstow, um vitral colorido retrata uma imagem inspirada em O Progresso do Peregrino, de John Bunyan. Cristão, o personagem central, pode ser visto ajoelhado ao pé da cruz. Seu fardo pesado de culpa desaparece de seus ombros, trazendo alívio incomparável a seu coração.


Cristão diz: “Não o vi mais.” O fardo se foi. Dor, remorso, ansiedade e vergonha desapareceram para sempre. Por causa de nossa imperfeição, egoísmo e relacionamentos defeituosos, é muito difícil entendermos o perdão perfeito e total de Deus. Simplesmente podemos aceitá-lo pela fé e orar: “Senhor, humildemente confesso a Ti meus pecados e aceito Teu perdão e purificação. Amém”!

Como podemos estar certos de que nossos pecados foram perdoados se não sentimos assim? Que razões temos para crer que fomos perdoados, apesar de nossos sentimento


Estudo adicional

Quando o pecado luta pelo domínio do coração humano, quando a culpa parece nos oprimir e sobrecarregar a consciência, quando a incredulidade anuvia a mente, quem faz entrarem os raios de luz? De quem é a graça suficiente para subjugar o pecado, e quem dá o precioso perdão a todos os nossos pecados, expulsando as trevas e nos tornando esperançosos e alegres em Deus? – Jesus, o Salvador que perdoa os pecados. Ele ainda é nosso advogado nas cortes do Céu; e aqueles que tiveram a vida escondida com Cristo em Deus devem se erguer e brilhar, porque a glória do Senhor nasceu sobre eles” (Ellen G. White, Bible Training School, maio de 1915).


“Se você ofendeu um amigo ou vizinho, deve reconhecer sua culpa e é dever dele perdoar plenamente. Então, você deve buscar o perdão de Deus, porque o irmão a quem feriu é propriedade de Deus e, ofendendo-o, você pecou contra seu Criador” (Ellen G. White, A Fé Pela Qual eu Vivo [MM 1959], p. 128).

Perguntas para reflexão

1. Madame Mao, esposa de Mao Tse-Tung, antigo líder da China comunista, vivia com medo e culpa constantes, tudo por causa de muitas coisas ruins que havia feito. Ela era tão paranoica, de fato, tão cheia de culpa que qualquer ruído súbito, qualquer som inesperado, causava suores frios ou a deixava enfurecida. Esse estado era tão ruim que ela exigia que seus criados mantivessem os pássaros longe de sua propriedade para que ela não tivesse que ouvi-los cantando. Embora seja esse um caso extremo, o que esse fato nos diz sobre o poder da culpa para arruinar nossa vida?
2. Que conselho você daria a alguém que tivesse problemas com a culpa por pecados passados, que afirme ter aceitado Cristo mas ainda não conseguiu se livrar dos sentimentos de culpa? Como você ajudaria essa pessoa?
3. Em um mundo em que não existisse Deus, a culpa poderia existir? Comente sua resposta.

Respostas sugestivas:
Pergunta 1: Fugiram e se esconderam de Deus. Não há como fazer isso.
Pergunta 2: Eles haviam vendido o próprio irmão à escravidão.
Pergunta 3: Haviam enganado e entristecido seu pai.
Pergunta 4: A confissão e a certeza do perdão removem o fardo da culpa.
Pergunta 5: A confissão liberta da culpa e traz alívio e alegria.
Pergunta 6: Endurecer a consciência mediante a repetida transgressão.
Pergunta 7: Ele se havia jactado de que não cairia, Jesus o havia advertido, mas ele não acreditou nisso. Reconheceu sua fragilidade humana.
Pergunta 8: Livres da condenação, temos paz com Deus e com nossos semelhantes.
Pergunta 9: O perdão de Deus é total e completo.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Relacionamentos

Casa Publicadora Brasileira – Lição da Escola Sabatina 212011 – Provisão divina para a ansiedade
Verso para Memorizar: “Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas” (Mateus 7:12)


Leituras da semana: 1Sm 25; Ef 4:1-3; 1Pe 3:9-12; Lc 17:3, 4; 23:34; Tg 5:16

Um experiente evangelista urbano costumava organizar seminários de administração do estresse como introdução às reuniões evangelísticas nas cidades. Ele criou uma pesquisa simples em que pedia ao público que mencionasse quatro ou cinco coisas que mais lhes provocavam estresse. Os trabalhadores agrupavam as respostas em categorias gerais (dinheiro, saúde, trabalho, relacionamentos, etc.). Antes que a contagem fosse completada, um trabalhador viu que o pregador já tinha preparado um conjunto de transparências para discutir os “relacionamentos” como a fonte número um. Quando questionado, o pastor explicou que os resultados eram sempre os mesmos: relacionamentos prejudicados sempre surgiam como a primeira causa de estresse.


Sejam problemas com o cônjuge, filhos, chefe, colegas de trabalho, vizinhos, amigos ou inimigos, as pessoas tendem a ser o principal motivo de estresse. Em contraste, quando os relacionamentos são positivos, são uma poderosa fonte de satisfação. Esse fator parece ser o mesmo em todos os lugares e em todas as culturas. As pessoas determinam se seremos felizes ou infelizes.


É por isso que, nesta semana, tomaremos algum tempo estudando o importante assunto dos relacionamentos e o que a Bíblia nos ensina sobre eles.


Completamente humilde e manso

1. Que traços de caráter Paulo associa com os bons relacionamentos e a unidade? Ef 4:1-3. Procure se lembrar de exemplos em sua própria experiência em que as atitudes acima causaram um efeito positivo sobre os relacionamentos.


2. Que podemos aprender das ações de Abigail e Davi quanto ao comportamento apropriado nas situações difíceis e tensas? 1Sm 25


A história de Davi, Nabal e Abigail fornece excelente exemplo de interação social bem-sucedida. Os resultados variam, dependendo significativamente de como as pessoas se apresentam – como superiores, como iguais ou como humildes amigos ou associados.


Davi enviou seus soldados a Nabal com um pedido justo. “Nós protegemos seus homens e sua propriedade; dê-nos qualquer coisa que puder achar” (1Sm 25:7, 8, paráfrase do autor). Mas Nabal não conhecia generosidade nem diplomacia. Somos informados de que ele era severo e mau. Outras traduções usam condições como grosseiro, mesquinho, estúpido, violento, desonesto, avarento e rude. E ele seguramente exibiu essas características diante dos guerreiros de Davi.


Em contraste, note a atitude inicial de Davi: embora detivesse o poder militar, sua mensagem foi cheia de cuidado e humildade, desejando a Nabal e à sua casa vida longa e boa saúde, apresentando-se como “Davi, teu filho” (v. 8).


Quanto a Abigail, a Bíblia nos diz que ela era inteligente e bela. Note seu comportamento: ela providenciou alimento abundante de boa qualidade; correu para satisfazer Davi, curvando-se diante dele, tratou a si mesma como “tua serva” e a Davi como “meu senhor” e pediu perdão. Ela também lembrou a Davi que, como homem de Deus, ele precisava evitar desnecessário derramamento de sangue.


O resultado da ação diplomática e humilde de Abigail provocou uma reviravolta completa nas intenções de Davi. Ele louvou o Senhor por tê-la enviado e a elogiou por seu bom julgamento. Essa mediação eficaz, cheia de espírito religioso, salvou a vida de muitos inocentes. Quanto a Nabal, Davi não precisou derramar sangue, porque o homem morreu – provavelmente de infarto – vítima do próprio medo.

É fácil (normalmente) ser bondoso para com aqueles de quem gostamos. Mas que dizer dos que não gostamos? Pense naqueles que você acha muito desagradáveis. Como reagiriam se você demonstrasse atitude humilde e bondosa para com eles? Pela graça de Deus, faça uma tentativa (lembrando-se, também, de que nem sempre você pode ter sido a pessoa mais agradável e amável).


Pagando o mal com o bem

3. Que traços de caráter cristão são descritos em 1 Pedro 3:8-12? Como você pode aplicar esses princípios à sua própria vida?


Jesus modernizou a regra “olho por olho” pela norma de voltar a outra face (Mt 5:38, 39). Esse era um conceito revolucionário na época, e ainda é hoje em muitas culturas e tradições. Infelizmente, até mesmo os cristãos raramente pagam o mal com o bem. Mas Jesus continua dizendo: “Aprendei de Mim, porque sou manso e humilde de coração” (Mt 11:29).


Um casal com filhos pequenos estava tendo sérios problemas com os vizinhos. Em várias ocasiões, e em tom desagradável, os vizinhos disseram aos jovens pais como era desagradável ver o play-ground instalado no quintal e ouvir as crianças brincando nele. Eles reclamaram de certas áreas do quintal da jovem família e como estavam aborrecidos por isso e por aquilo. O jovem par não gostava que outros se dirigissem a eles em tom tão severo e indelicado. Afinal, eles não estavam fazendo nada contra as regras do bairro. Um dia, quando a família estava colhendo maçãs das macieiras no quintal, a mãe decidiu dar aos vizinhos duas tortas de maçã recém-assadas. Os vizinhos aceitaram alegremente as tortas. Aquele ato simples fez diferença em seu relacionamento, provavelmente porque eles nunca teriam esperado nada parecido com aquilo de pessoas a quem eles haviam hostilizado constantemente.

4. Como Davi devolveu os constantes ataques de Saul contra sua vida? 1Sm 24:4-6. O que isso nos diz sobre o caráter de Davi? Como precisamos aplicar a mesma atitude sobre nossa própria experiência, especialmente quando temos problemas com alguém que, a seu próprio modo, também pode ser o “ungido do Senhor”?

O livro de 1 Samuel registra quatro ocasiões em que Davi expressou temor de erguer a mão contra “o ungido do Senhor”. Embora ele tivesse oportunidades de se vingar, tentou repetidamente se aproximar e perdoar o rei. Davi escolheu uma forma humilde e piedosa em seus procedimentos com alguém que não era bondoso para com ele. Não deveríamos todos, em qualquer situação que estivermos enfrentando, procurar fazer o mesmo?


Perdão

É possível manter as aparências de uma vida religiosa rica e significativa, mas ter sérios problemas de relacionamento. É um fato da vida que, como seres humanos, frequentemente atingimos as pessoas e causamos dor uns aos outros , mesmo – e às vezes especialmente – na igreja. Consequentemente, é importante aprender a arte do perdão.

5. Que conselho dá Paulo a respeito do trato interpessoal? Ef 4:32. Você tem aplicado essa verdade bíblica à sua vida? A quem você precisa perdoar, e por que é importante, para seu próprio bem, perdoá-lo?


Só recentemente a profissão de aconselhamento começou a considerar mais positivamente a importância dos princípios espirituais sobre a saúde mental. Por décadas, religião e espiritualidade foram consideradas por muitos psicólogos e conselheiros a fonte fundamental de culpa e medo. Hoje, nem tanto. Muitos utilizam os efeitos protetores de um ponto de vista cristão comprometido. “Terapias” como oração, jornadas espirituais, memorização de textos bíblicos-chave e protocolos de perdão hoje têm sua eficácia reconhecida por ajudar muitos a vencer variadas perturbações emocionais. O perdão é reconhecido como uma das estratégias mais confortantes, embora a habilidade de perdoar e ser perdoado verdadeiramente venha só de Deus em um coração transformado por Ele (Ez 36:26).

6. Que ensinou Jesus a respeito do perdão? Mt 5:23-25; Lc 17:3, 4; 23:34

Às vezes, pode-se pensar que é virtualmente impossível conceder perdão. Mas nenhum ser humano já alcançou a extensão do que Jesus sofreu no caminho da dor e humilhação: o Rei e Criador do Universo foi injustamente degradado e crucificado por Suas criaturas. Mas, em completa humildade, Jesus tanto Se importou com elas que implorou ao Pai por seu perdão.

Às vezes, as pessoas fazem mal a outras sem compreender totalmente a dor que estão provocando. Em outras ocasiões, as pessoas ofendem as outras porque são inseguras ou têm problemas pessoais, e tentam obter alívio ferindo os outros. Como a percepção dos problemas dos outros pode nos ajudar a oferecer perdão? Como você pode aprender a perdoar os que estão tentando feri-lo(a) propositalmente?


Confessai... os vossos pecados uns aos outros

7. Como você interpreta a recomendação de Tiago de confessar uns aos outros os nossos pecados? Tg 5:16. Medite nesse verso e pergunte a si mesmo como você precisa aplicar esse ensino à sua situação.

O pecado contra meu próximo requer que eu confesse a ele a fim de obter perdão e para restabelecer o relacionamento. Também mostra que estou disposto a assumir a responsabilidade pelo que fiz e que espero aceitação e perdão e neles confio. Pela graça de Deus, uma pessoa nobre concederá perdão, não importando o tamanho da ofensa.


Existe ainda uma interpretação adicional do texto de Tiago, que oferece grandes possibilidades de cura. A confissão de pecados, erros e transgressões a alguém em quem você confia traz cura emocional. O ato de abrir a própria imperfeição a um amigo cristão piedoso ajuda a aliviar o fardo do pecado. Além disso, a confissão mútua aprofunda os relacionamentos interpessoais. Confiar e ser objeto de confiança provê o elo que torna a amizade genuína e duradoura. De fato, toda a profissão de aconselhamento está fundada no princípio de que a exposição dos problemas faz bem. Embora haja doenças mentais que necessitem de tratamento profissional, muitos sentimentos de angústia podem ser aliviados no nível da igreja e da comunidade. E isso é especialmente verdade com os problemas criados pela deterioração dos relacionamentos interpessoais – desentendimentos, calúnia, ciúmes, etc. Seguir o conselho de Tiago não só alivia o fardo psicológico como também traz força renovada para mudar o comportamento destrutivo.


Agora, uma palavra de precaução. Embora a revelação dos pecados cometidos a um amigo próximo possa trazer muito alívio, também deixa a pessoa vulnerável. Sempre existe o risco de que o amigo revele a outros a confidência, e isso é destrutivo para as partes envolvidas.


Mais importante é que sempre podemos confessar nossas transgressões ao Senhor, em plena confiança e com a certeza segura do perdão. Leia 1 Pedro 5:7. Os relacionamentos defeituosos podem trazer incerteza e até temor e ansiedade. Outros podem ajudar, mas a ajuda mais segura vem do Senhor Jesus, que, a qualquer momento, está disposto a tomar todos os nossos cuidados, deixando-nos com um senso genuíno de alívio por ter deixado nossos fardos em Suas mãos.


Edificando uns aos outros

8. Como você pode aplicar à própria vida o ensino de Paulo sobre os relacionamentos interpessoais? Por que isso é tão importante? Ef 4:29; 1Ts 5:11; Rm 14:19


Paulo aconselhou as comunidades da primeira igreja a evitar a deterioração dos relacionamentos pessoais no “corpo de Cristo”. Muitas dificuldades interpessoais vêm de tentar destruir uns aos outros e, no processo, ofender toda a comunidade. Aqueles que tomam parte em fofocas e calúnias tendem eles próprios a ter problemas — sentimentos de inferioridade, necessidade de ser notado, desejo de controlar ou ter poder e outras inseguranças. Essas pessoas precisam de ajuda para abandonar esse modo nocivo de lidar com seus conflitos internos.


Sentir-se realmente bem sobre si mesmo ajuda a evitar se envolver em fofoca e calúnia. Os membros do corpo de Cristo precisam considerar-se privilegiados por ter recebido o dom da salvação (Sl 17:8; 1Pe 2:9). Com essa compreensão, a ênfase passa a ser a edificação mútua. Palavras de encorajamento e aprovação, ênfase no lado positivo das coisas, humildade e uma atitude alegre são modos de sustentar aqueles que têm problemas pessoais.


Outra forma de ajudar é servir como mediadores de relacionamentos. Jesus chamou os pacificadores de “bem-aventurados” e “filhos Deus” (Mt 5:9), e Tiago diz que os pacificadores colherão “o fruto da justiça” (Tg 3:18).

9. Qual é a regra básica para todos os relacionamentos? Mt 7:12


Esse princípio pode ser considerado uma joia inestimável para os relacionamentos sociais. É positivo, está baseado no amor, é universal e estende a lei acima e além da lei humana. A “regra áurea” também traz benefícios práticos a todos os envolvidos.


Um agricultor chinês estava cuidando de seu arrozal nos terraços de uma montanha com vista para o vale e o mar. Um dia, ele viu o início de um tsunami – o mar retrocedeu, deixando uma larga porção da baía exposta, e ele sabia que a água voltaria com força, destruindo tudo no vale. Ele pensou em seus amigos que trabalhavam no vale e decidiu atear fogo a seu campo de arroz. Imediatamente, seus amigos subiram a montanha para apagar o fogo e, assim, escaparam da morte na onda assassina. Como resultado desse espírito de ajuda mútua, a vida deles foi salva. A lição é clara.


Estudo adicional

Leia Efésios 4:25-32 e destaque as palavras que tocam mais diretamente seu coração. Reflita em todas as coisas que você pode fazer, com a ajuda de Deus, para melhorar seu relacionamento com outras pessoas.


Estas são partes de uma carta que Ellen White escreveu em 1908 a um evangelista: “Tenho, da parte do Senhor, esta mensagem para você: Seja bondoso no falar, brando na ação. Vigie sempre cuidadosamente suas ações, pois você é inclinado a ser severo e autoritário, e a dizer coisas ásperas. ... Expressões ásperas ofendem ao Senhor; palavras imprudentes causam dano. Foi-me ordenado dizer-lhe: Seja brando na linguagem; vigie bem suas palavras; não permita que se introduza a dureza em sua maneira de falar nem nos seus gestos. ...


“Quando sua experiência diária for olhar a Jesus e dEle aprender, você haverá de revelar caráter são e harmônico. Abrande suas manifestações, e não se permita proferir palavras condenatórias. Aprenda do grande Mestre. As expressões de bondade e simpatia farão bem como um remédio, e curarão os que se acham em desespero. O conhecimento da Palavra de Deus, introduzido na vida prática, terá uma força saneadora e suavizante. A aspereza no falar nunca há de produzir bênçãos para você, nem a nenhuma outra pessoa” (Obreiros Evangélicos, p. 163, 164).

Perguntas para reflexão
1. O perdão pode ser muito difícil, especialmente quando fomos muito ofendidos. Como perdoar aqueles que não pedem perdão, que não se importam com seu perdão, e que podem até desprezá-lo? Qual é sua responsabilidade nesses casos?
2. O abuso verbal e físico dentro das famílias é uma realidade que traz muita dor a pessoas e grupos. Qual deve ser a atitude cristã para evitar esse problema? Que se deve recomendar quando o perdão não traz nenhuma mudança no comportamento abusivo?
3. Pense cuidadosamente em sua vida agora. Que passos você pode dar para obter a melhoria em seus relacionamentos? Por que a humildade, a confiança em Deus e o desejo de agir corretamente são tão importantes nesse processo?

Respostas sugestivas:
Pergunta 1: Humildade, mansidão, longanimidade, amor.
Pergunta 2: Abigail se humilhou, assumiu sobre si a culpa de Nabal e implorou perdão. Davi reconheceu a sabedoria das providências de Abigail e permitiu ser apaziguado.
Pergunta 3: Compaixão, amizade, misericórdia, humildade, pacifismo, bondade no falar.
Pergunta 4: Protegendo sua vida.
Pergunta 5: Ser benignos, compassivos, perdoadores.
Pergunta 6: O perdão é uma via de mão dupla. Quem deseja recebê-lo deve estar disposto a concedê-lo.
Pergunta 7: Confessar àqueles a quem ofendemos.
Pergunta 8: Usar palavras edificantes, cheias de graça.
Pergunta 9: A regra áurea.

domingo, 16 de janeiro de 2011

Ex-atriz pornô dá recado sério aos homens

Jennifer Case deixou a indústria do sexo três anos atrás pela graça de Deus, diz ela, e a mensagem dela para os homens é muito clara: “Há uma pessoa real do outro lado das imagens que você está vendo, e você está destruindo a vida dela e a vida dos filhos dela.” Numa entrevista para “The Porn Effect” (O Efeito Pornô), Case testifica de sua própria experiência acerca dos malefícios que a indústria pornográfica provoca nas mulheres envolvidas. Ela diz que ficou traumatizada, oprimida e abusada, e ficou viciada em drogas e precisava de dinheiro da pornografia para continuar tendo condições de comprá-las. Fisicamente ela tinha de lidar com doenças sexualmente transmissíveis: “Tive tantas infecções diferentes o tempo inteiro. Deixei Hollywood porque fiquei muito doente de clamídia. Meu abdome doía tanto que tive de voltar para casa”, disse ela.

A indústria pornográfica é alimentada pelos seus consumidores – eles e seu dinheiro impulsionam o destrutivo negócio – e daí dá para se atribuir os danos feitos a essas mulheres aos consumidores bem como produtores. Contudo, a ex-atriz pornô não guarda amargura contra os homens pela vida passada dela. Ela possui um discernimento profundo da natureza viciadora da pornografia e diz que compreende que só com a ajuda de Deus os homens conseguem sair do vício, assim como foi com a ajuda de Deus que ela deixou essa indústria.

“Homens, Deus ama vocês! Eu amo vocês também e sempre orarei por todos vocês, para que as cadeias sejam quebradas”, diz ela. “Você é escravo da pornografia tanto quanto qualquer atriz pornô. Se você está vendo pornografia ou está viciado em pornografia, você está tentando encher um vazio dentro de você que só Deus pode preencher. Toda vez que você olha pornografia, você está aumentando o vazio, e você destruirá sua vida.”

Ela diz que a pornografia é “maligna” e “é uma droga, veneno e mentira”. “Se você pensa que poderá guardá-la no escuro, Deus a tirará para fora, para a luz, para deter você e curar você.”

Num apelo muito franco, Case concluiu a entrevista dizendo: “Essas mulheres são preciosas e merecem ser amadas exatamente como vocês merecem. Há uma pessoa real do outro lado das imagens que você está vendo, e você está destruindo a vida dela e a vida dos filhos dela. Em toda pornografia existe a filha de alguém. E se fosse a sua filhinha? Você pode realmente estar ajudando na morte de alguém! Atores e atrizes pornôs morrem o tempo todo de aids, overdoses de drogas, suicídios, etc. Por favor, parem de olhar pornografia.”

(Traduzido do artigo original em inglês por Julio Severo)

Note: Apelo sincero e sério o dessa mulher. Como qualquer vício, o da pornografia geralmente começa com o descuido e a curiosidade e vai se aprofundando, até que a pessoa se dá conta de estar escravizada pelo hábito destrutivo. O alcoólico deve ficar longe do álcool. O drogado deve passar longe das drogas. E o viciado em pornografia também deve tomar medidas preventivas. Se o problema é a internet, deve-se acessá-la sempre acompanhado de outras pessoas, limitar o tempo de navegação, ser muito focado e específico no uso (evitando navegar a esmo por aí) e colocar filtros no computador. Crianças pequenas devem ser especialmente monitoradas para não entrar inadvertidamente nesse mundo corrompido da pornografia. Finalmente, e mais importante: como disse Jennifer, só com a ajuda de Deus se pode conseguir a libertação do vício. Portanto, se você vive esse drama, intensifique sua comunhão com Deus por meio da oração sincera, do estudo devocional diário da Bíblia, das boas companhias e da frequência regular à igreja. Quando Jesus controla nossa mente, os pensamentos e desejos se tornam puros e corretos.

Fonte: Criacionismo

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Inundação em São José do Vale do Rio Preto - RJ (Ilair Pereira resgatada)


“Eu pensei que ia morrer, mas pedi, pelo amor de Deus, que meus vizinhos não me deixassem morrer ali”. Foi dessa maneira e com os olhos mareados que a dona de casa Ilair Pereira de Souza, 53 anos, resumiu, nesta quinta-feira (13), os momentos de pavor que passou pendurada em uma corda ao ser socorrida por vizinhos na enxurrada da noite desta quarta-feira (12), em São José do Vale do Rio Preto, na Região Serrana do Rio de Janeiro.



“Nunca tinha feito um nó em corda na minha vida. Quando jogaram a corda, me amarrei rapidinho que nem sei como fiz aquele nó. Estava com tanto medo que o nó fosse fraco que me agarrei como nunca na corda”, disse Ilair, que é conhecida na região como Pelinha.


O momento do salvamento foi gravado pela Intertv, afiliada da Rede Globo. (Veja o vídeo ao lado).
A cena registrada pela Intertv mostra o momento em que dona Pelinha solta o cachorro, Beethoven, que ela tentava socorrer junto com ela.

“Ele mordeu meu braço para tentar escapar, mas não consegui segurá-lo. Se eu tentasse ajudá-lo, eu iria morrer. Coitadinho, ele ficou me olhando com aquele olhinho triste e se foi naquela água. Não tinha o que fazer”, disse ela, mostrando a marca da mordida no braço esquerdo.


“Foi como papelão, um pedaço daquela laje ainda caiu em cima de mim. Meu irmão queria me socorrer, mas não podia, pois se ele fizesse isso nós dois iríamos morrer”, lembrou Ilair, aos prantos.

“Foi um momento muito difícil ver minha irmã naquela situação e ter de escolher entre ajudá-la e morrer, ou se salvar e deixar que ela conseguisse sair com a corda. Felizmente deu tudo certo”, disse o pedreiro Carlos Alberto Pereira de Souza, 46 anos.

“Agora, estou na casa de meu irmão, mas devo me mudar para a casa do pai dos meus filhos e ficar lá até arrumar onde morar. Ainda não sei para onde vou”, disse dona Pelinha. A casa do irmão fica na frente do local onde ela foi salva.


Fonte: G1

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Estresse

Casa Publicadora Brasileira – Lição da Escola Sabatina 212011 – Provisão divina para a ansiedade


Verso para Memorizar: “Vinde a Mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e Eu vos aliviarei” (Mateus 11:28).


Leituras da semana: 1Rs 17:2-4, 15, 16; 19:1, 2; Mc 6:31-34; Gl 6:2; Jo 15:13

O estresse afeta a todos. Exigências no trabalho, crises familiares, culpa, incerteza sobre o futuro, descontentamento com o passado – esses todos já são difíceis. Tudo isso, somado aos eventos gerais da vida, podem pôr sobre as pessoas pressão suficiente para afetar sua saúde física e mental. Os pesquisadores Thomas H. Holmes e Richard H. Rahe desenvolveram a escala de avaliação de reajustamento social, que classifica os eventos da vida com valores de estresse correspondentes a cada um: morte do cônjuge – 100; ferimentos ou enfermidade – 53; mudança de residência – 20; etc. Quem tiver acumulado 200 ou mais pontos a qualquer tempo corre um risco de 50 por cento de ficar doente; quem chega a 300 ou mais está no ponto de crise. O estresse moderado é necessário para aperfeiçoar o desempenho, mas um estresse além do ponto se torna um perigo à saúde.


Jesus mostrou por preceito e exemplo que o hábito de buscar a Deus em um tempo e lugar tranquilo é o melhor remédio para as tensões da vida (Mc 6:31). Se Lhe permitirmos, o Senhor nos ajudará a lidar com as pressões que fazem parte inevitável da vida.



Eventos excitantes da vida

1. Como Deus providenciou a sobrevivência de Elias durante a longa seca em Israel? 1Rs 17:2-6, 15, 16


No meio de uma longa fome, Elias deve ter se sentido muito perto de Deus, que tomou cuidado tão pessoal para com ele. Primeiramente, ele teve a oportunidade de testemunhar os corvos (aves normalmente repugnantes) vindo para alimentá-lo duas vezes por dia. Esse foi um grande milagre! Então, ele viu infinitas porções de pão surgindo de um pouco de óleo e farinha – suficientes para alimentar três pessoas por dois anos. Que maior evidência do cuidado providencial de Deus seria necessária?


Ellen G. White aplicou as lições dessa história ao povo fiel de Deus nos últimos dias: “Vi que nosso pão e nossa água serão certos nesse tempo, e que não teremos falta nem padeceremos fome, pois Deus é capaz de estender para nós uma mesa no deserto. Se necessário, Ele enviaria corvos para nos alimentar, como fez com Elias, ou faria chover maná do céu, como fez para os israelitas” (Primeiros Escritos, p. 56).

2. Que outras coisas aconteceram a Elias, e que lições podemos tirar delas? 1Rs 17:17-22; 18:23-39, 45


Deus usou Elias para ressuscitar o filho da viúva. Que prova de fé! Que demonstração do poder de Deus sobre a vida e a morte! Em seguida, a prova no Monte Carmelo foi uma demonstração irrefutável e espetacular do poder de Deus. Finalmente, a chuva pesada, depois de uma seca de três anos, foi outra manifestação do envolvimento de Deus com os negócios humanos. A vida de Elias estava cheia de intervenções diretas de Deus. É difícil imaginar como pode alguém, afinal, deixar de confiar completamente no Senhor. Mas, não muito depois disso, Elias foi tomado pelos sintomas do estresse e desânimo (veja a lição de amanhã).


Assim, existe aqui uma lição importante. Não importa quais sejam os milagres que ocorram em nossa vida, sempre enfrentaremos obstáculos. Ninguém, nem mesmo um profeta como Elias, está livre das dificuldades que a vida traz.

Você está se destacando por sucesso e realização? Uma longa série de eventos divertidos (alguns até positivos) pode acrescentar muito peso à sua carga. Ao mesmo tempo, por que devemos ser cuidadosos para não ficar muito envaidecidos com nós mesmos nos bons tempos?



Eventos amargos da vida (Leia 1 Reis 18:40)

Quer tenha Elias participado da morte de centenas de pessoas ou não, ele foi claramente responsável pela operação, e essa deve ter sido uma experiência emocionalmente desoladora. Esse ato foi permitido por Deus como a única maneira de erradicar a idolatria, o que incluía o sacrifício de crianças (Jr 19:5). No entanto, isso certamente deve ter exercido um impacto emocional sobre o profeta.

3. Além do estresse daquela provação, que mais Elias enfrentou? 1Rs 19:1, 2.

Desde o início do reinado de Acabe, a rainha má foi inflexível no sentido de que seu marido devia servir a Baal e adorá-lo (1Rs 16:31). Como resultado, todo o Israel caiu nas práticas idólatras. Jezabel teve participação decisiva no estabelecimento da adoração de Astarote, uma das formas mais vis e mais degradantes da idolatria cananita. Agora, com a morte de todos os sacerdotes, Jezabel parecia impaciente e enfurecida.

4. Como Elias reagiu à mensagem vinda de Jezabel? 1Rs 19:3, 4


Esse homem de Deus, depois de testemunhar uma série de milagres maravilhosos, como pôde se encontrar em tanto desespero? Como chegou ao ponto de pedir que Deus lhe tirasse a vida? Afinal, pense nos milagres que ele viu e até em que se envolveu!


“Satanás [tem se] aproveitado da fraqueza da humanidade. E continuará a operar assim. Sempre que uma pessoa se encontra rodeada de nuvens, perplexa pelas circunstâncias ou aflita pela pobreza e a infelicidade, Satanás se acha a postos para tentar e aborrecer. Ataca nossos pontos fracos de caráter. Procura abalar nossa confiança em Deus, que permite existirem tais condições” (Ellen G. White,
O Desejado de Todas as Nações, p. 120).

Com que frequência você tem feito a mesma coisa: esquecer a incrível operação do Senhor por você no passado? Por que é tão importante, especialmente nas ocasiões de desespero e estresse, apegar-se às lembranças de como ­Deus trabalhou em sua vida no passado? Por que nos esquecemos tão facilmente do que o Senhor fez por nós? Como o louvor e a adoração podem ajudar você nesses tempos difíceis?



Terapia de Deus

5. Quais foram os remédios simples fornecidos a Elias durante esse tempo estressante de sua vida? 1Rs 19:5-9. Que podemos aprender desse episódio? Como nossos atos estão afetando, para o bem ou para o mal, nossa atitude mental?

Dormir. Comer. Dormir novamente. Comer novamente. E então, fazer exercício físico intenso – quarenta dias e quarenta noites; caminhando do Monte Carmelo ao Monte Horebe. O interessante é que sono apropriado, exercício e alimentação saudável são prescritos frequentemente para combater o estresse psicológico.


Um tratamento comum para os distúrbios de humor é chamado de programação de atividades. Consiste no desenvolvimento de um calendário rígido que contenha atividades prazerosas e propositais que forcem a pessoa deprimida a se organizar, antecipar e realizar eventos. Esse regime ajuda a pessoa a preencher o tempo de forma positiva e evitar a auto-piedade. Frequentemente, o exercício físico é incluído nas atividades, pois ajuda a produzir endorfinas, substâncias químicas naturais semelhantes à morfina que melhoram o humor e, pelo menos temporariamente, aliviam a depressão.


Com a orientação celestial, Elias foi levado a dar os passos que restauraram sua saúde mental. À semelhança de Elias, precisamos estar abertos à liderança divina. Quando se assentou sob o pé de zimbro, Elias orou. Sim, foi o tipo errado de oração (pedir que Deus lhe tirasse a vida), mas, pelo menos, era uma oração, um desejo de que Deus levasse a carga.


Com o passar do tempo, Elias venceu seu terrível desânimo, e Deus ainda pôde usá-lo (veja 1Rs 19:15, 16; 2Rs 2:7-11). Antes de ser levado para o Céu em um redemoinho, Elias recebeu o grande privilégio de ungir seu sucessor e de testemunhar a abertura das águas do rio Jordão, permitindo assim que ele e Eliseu cruzassem o rio em seco.


Finalmente, Elias foi levado para o Céu, sem ter que provar a morte. Justo ele que, não muito antes, estava pedindo que Deus lhe tirasse a vida!

O que perderemos se só orarmos em ocasiões de desânimo e desespero? Compare com os benefícios de uma vida de constante oração em vez de oração só nas situações de emergência. Como você pode viver em atitude de oração constante?



O método de Jesus para administrar o estresse

Com a popularização dos telefones celulares, no meio da década de 1990, um pastor adventista veterano disse: “Nunca quero ter um! Ao visitar as igrejas e ouvir os problemas das pessoas, fico cansado e aflito; mas quando volto para o carro, encontro refúgio. Se tivesse um celular, eu não acharia descanso nem mesmo no carro.” Todo seguidor de Cristo precisa de um lugar quieto de refúgio para encontrar tranquilidade, para orar e ouvir Deus em Sua Palavra escrita.

6. Leia Marcos 6:31. Que lição podemos tirar desse episódio? Com que frequência você faz isso? Ou será que você sempre tem uma desculpa?


Falando de Jesus, Ellen G. White escreveu: “Sua felicidade encontrava-se nas horas em que estava a sós com Deus e a natureza. Sempre que Lhe era concedido esse privilégio, afastava-Se do cenário de Seus labores e ia para o campo, a meditar nos verdes vales, a entreter comunhão com Deus na encosta da montanha ou entre as árvores da floresta. O alvorecer frequentemente O encontrava em algum lugar retirado, meditando, examinando as Escrituras ou em oração. Dessas horas quietas voltava para casa, a fim de retomar Seus deveres e dar exemplo de paciente labor” (O Desejado de Todas as Nações, p. 90).

7. Que outro refúgio tinha Jesus? Mt 21:17, Mc 11:11


As pessoas podem ser uma fonte de angústia ou de paz. Jesus achava paz com os amigos que traziam conforto e afeto para Sua vida. Isso Ele encontrava na casa de Lázaro, Marta e Maria. “Seu coração estava unido por forte vínculo de afeição à família de Betânia. ... Frequentemente, quando cansado, sequioso de companhia humana, alegrava-Se de poder escapar para esse pacífico ambiente de família... Nosso Salvador apreciava um lar tranquilo e ouvintes interessados. Anelava a ternura, a cortesia e o afeto humanos” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 524).

Como você pode aplicar à sua vida o método de administração do estresse de Jesus? Que conselho você daria a um morador da cidade que precisasse viajar por horas para encontrar a natureza? Ou para alguém que vive em uma família estendida com um grande número de pessoas sob o mesmo teto? A quem você buscaria, entre sua família ou amigos, se estivesse desorientado e sentindo falta de apoio emocional?



Levando alívio aos outros

8. Que características específicas do comportamento de Jesus Pedro usou para descrever seu Mestre? At 10:38


O estilo de Jesus era fundamentalmente abnegado. Ele utilizava toda a Sua energia para servir aos outros, levar-lhes alívio com palavras amáveis e poder de cura. Jesus nunca usou Seus poderes divinos para beneficiar a Si mesmo. Isso deve ter causado tal impressão em Pedro que sua descrição do Salvador era a de alguém que “andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo” (v. 38).


Na maioria dos casos, a pressão provocada por trabalho, relacionamentos, dinheiro, etc., é egocêntrica. O enfoque nos outros (em lugar de em si mesmo) é um bom caminho para remover a pressão pessoal. Pessoas que participam de trabalhos voluntários, projetos de comunidade, etc., relatam maiores sentimentos de bem-estar e satisfação que aqueles que não o fazem.

9. No relacionamento com outras pessoas, qual é a prioridade do cristão? Gl 6:2; Fp 2:4; Jo 15:13


John D. Rockefeller (1839-1937) deu um exemplo de como sobreviver ao estresse tirando a atenção de si mesmo e dirigindo-a aos outros. Por volta de 1879, sua companhia, a Standard Oil, processava cerca de 90 por cento do refino de petróleo nos Estados Unidos. Aos 50 anos, ele era o homem mais rico do mundo. Mas, em 1891, ele teve um colapso nervoso e quase morreu. Porém, ele se recuperou da enfermidade em apenas alguns meses. Como?


Além de alimentação simples, descanso e exercício, ele decidiu doar sua fortuna, e passou os últimos 40 anos de vida como filantropo. No início do século 20, sua fortuna pessoal alcançava quase 900 milhões de dólares. No momento de sua morte, seus bens estavam estimados em 26 milhões. As doações fizeram muito bem ao mundo. E, quanto a ele mesmo, sua vida se estendeu por mais quase 50 anos, vivendo em satisfação até os 97 anos de idade.

Qual foi sua experiência com as bênçãos resultantes de servir aos outros? Por que não fazer um esforço concentrado e em oração para alcançar mais?



Estudo adicional

Indescritivelmente cansado, [Elias] se assentou para repousar debaixo de um zimbro. Assentando-se aí, pediu a morte para si mesmo. ... Fugitivo, longe da habitação dos homens, causticado pelo amargo desapontamento, ele desejou nunca mais olhar a face de um homem. … Na experiência de todos surgem ocasiões de profundo desapontamento e extremo desencorajamento – dias em que só predomina a tristeza, e é difícil crer que Deus é ainda o bondoso benfeitor de Seus filhos na Terra; dias em que o dissabor mortifica o ânimo, de maneira que a morte pareça preferível à vida. É então que muitos perdem a confiança em Deus e são levados à escravidão da dúvida, ao cativeiro da incredulidade. Se, em tais ocasiões, pudéssemos discernir com intuição espiritual o significado das providências de Deus, veríamos anjos procurando salvar-nos de nós mesmos, esforçando-se por firmar nossos pés num fundamento mais firme que os montes eternos; e nova fé, nova vida jorrariam para dentro do ser” (Ellen G. White, Profetas e Reis, p. 162).

Perguntas para reflexão
1. Você já teve ocasiões em que viu claramente a mão de Deus operando em sua vida, e sua fé se fortaleceu, só para logo em seguida afundar e se achar cheio de dúvidas sobre Deus e Sua guia em sua vida? O que você aprendeu dessa experiência pode ajudar outras pessoas que estão enfrentando a mesma coisa?
2. Por que o hábito de ajudar os outros nos faz sentir melhor? Por que isso é tão frequente? Ao mesmo tempo, por que é tão difícil dar de nós mesmos aos outros? Como podemos aprender a ser mais dispostos a morrer para o eu a fim de melhor servir às necessidades dos que estão ao nosso redor?
3. Examine seus próprios hábitos de saúde. O que você está comendo e bebendo? Qual é o seu programa de exercícios? Quanto tempo de lazer você tem? Que mudanças você pode fazer para se sentir melhor tanto emocional como fisicamente? Embora, em alguns casos, as pessoas tenham necessidades psicológicas muito sérias, que precisam ser tratadas por profissionais, muitas vezes, a mudança de estilo de vida pode fazer grande diferença em nosso bem-estar.
4. Quantas horas “vagas” você tem? O que você faz com esse tempo? Como você pode utilizar melhor esse tempo para aumentar seu relacionamento com Deus?

Respostas sugestivas:
Pergunta 1: Sustentando-o por meio de corvos e de uma viúva em terra estranha.
Pergunta 2: Ressuscitou o filho da viúva e enfrentou os sacerdotes de Baal.
Pergunta 3: A fúria da rainha Jezabel.
Pergunta 4: Temeu pela sua vida e fugiu.
Pergunta 5: Alimentação, descanso e caminhada.
Pergunta 6: Fugir dos eventos estressantes e repousar.
Pergunta 7: O lar de Betânia.
Pergunta 8: Andava fazendo o bem e curando. Deus estava com Ele.
Pergunta 9: Dar prioridade ao bem dos outros.


segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

"O apocalipse de pássaros e peixes"

Alguns dizem que foram os fogos de artifício. Outros acreditam que o mau tempo pode ser o culpado. Surgem especulações a todo momento. O único fato é que a morte de cerca de cinco mil pássaros melros na cidade de Beebe, no Arkansas (EUA), na sexta-feira 31, continua sem uma explicação. Moradores contam que as aves caíram como se fosse uma verdadeira chuva sobre a cidade. A lenda urbana aumenta a cada dia porque há pouco tempo cerca de 83 mil peixes apareceram boiando no rio Arkansas. Há os que aumentam o alarme: seria o início do apocalipse.

Fonte - Isto É

Nota Cristo Voltará: Mortes em massa de insetos, aves e outros animais se sucedem pelo mundo. O que isso está querendo dizer? Será a natureza não suportando mais as atividades do ser humano? Normais, tais coisas é que não são. O mundo está se tornando hostil à vida?

Nos Estados Unidos, desde alguns anos abelhas desaparecem em grandes proporções. Há temor de ameaçar a produção de alimentos, que necessitam da polinização. Nos últimos dias, desde a virada do ano de 2010 para 2011, os pássaros caem do céu, mortos, em grande quantidade, e ao mesmo tempo e uns próximos dos outros. Se fossem seres humanos, se suporia suicídio coletivo. Mas são animais, irracionais, não planejam essas coisas. Portanto, um fenômeno pior está ocorrendo. Alguma explicação científica certamente deverá aparecer, pois tudo o que acontece, só é misterioso se não for encontrada a explicação. Tudo tem causa, e toda causa gera efeitos. Estão fazendo autópsias para saber o que se passa com esses pássaros negros que morrem, ao que parece, durante o vôo.

Primeiro, foram uns 3.000 pássaros negros que caíram do céu na cidade de Bibi, no Arkansas, na virada do ano. O motivo ainda é desconhecido. Todos os pássaros apresentavam hemorragia. Também morreram uns 100.000 (estimativa) peixes no Arkansas. Testes estão sendo feitos para saber a causa. Na Lousianna, outros 500 pássaros caíram do céu, alguns com asas e espinhas quebradas. No Brasil, na costa do estado do Paraná, ocorreu a morte por enquanto ainda misteriosa de 100 toneladas de peixes, principalmente sardinhas, mas também bagre e corvina. Aliás, a morte de peixes vem ocorrendo em vários lugares do mundo, com certa freqüência, e se tornou bem comum no Brasil. O fenômeno das mortes coletivas de animais também ocorre na Europa. Foi na Suécia, onde foram encontrados entre 50 a 100 pássaros mortos, perto de Gotemburgo. As aves, uma espécie da família dos corvos, estavam caídas sobre uma estrada junto a Falköping (sudoeste da Suécia) ao longo de dezenas de metros. Esse fenômeno não é inédito, pois já ocorreu nos Estados Unidos durante o ano de 2010.

O que isso significa? Precisamos de mais informações sobre as causas. Mas uma coisa já é certa, o mundo está rapidamente se tornando um lugar difícil para se viver. Basta se atentar para o aumento das doenças. Apesar dos avanços da pesquisa científica para a cura, as doenças desafiam a ciência e consegue, por meio de mortes, desafiá-la com crescente sucesso.

domingo, 9 de janeiro de 2011

Por que nossa temperatura é de 37 graus?

Os cientistas encontraram a razão (ou uma delas) para o corpo humano ter a temperatura de 37 graus Celsius (98,6° Fahrenheit). Aparentemente essa é a temperatura perfeita, uma vez que é suficientemente quente para prevenir infecções por fungos, mas não tão quente que nos force a comer o tempo todo como forma de manter nosso metabolismo. Os cientistas sempre se questionaram sobre o porquê de os mamíferos superiores serem tão quentes quando comparados com outros animais. E agora já se tem uma ideia. Os fungos que podem ser bem sucedidos em contaminar um animal geralmente diminuem em 6% por cada aumento de grau Celsius. Portanto, precisamos de um corpo mais quente como forma de repelir as infecções fungosas. A pergunta é: Quão quente?

“[Os cientistas] desenvolveram um modelo matemático que analisou os benefícios adquiridos pela temperatura corporal que se protege dos fungos em oposição aos custos (em termos de consumo extra de comida) necessários para manter a temperatura entre os 30 °C e os 40 °C. A temperatura ideal para se maximizar os benefícios ao mesmo tempo que se minimizavam os custos era 36,7 °C, que está bem próximo da temperatura do corpo humano.”

Conclusão: parece que Quem nos criou não só nos fez de um modo “terrível e maravilhoso”, como deixou vasta gama de evidências de Seu poder, amor e preocupação com Sua criação. Que pena que os militantes ateus não aceitem os dados da ciência quando esta contradiz os seus mitos (ou seja, sempre).

“Eu Te louvarei, porque de um modo terrível e tão maravilhoso fui formado; maravilhosas são as Tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem” (Salmo 139:14).

(Darwinismo)
Criacionismo.

sábado, 8 de janeiro de 2011

Pedras Guia da Geórgia (Georgia Guidestones) estão ligadas a 2012?


As Pedras Guia da Geórgia (Georgia Guidestones) é um monumento em granito localizado num cume no condado de Elbert, estado norte-americano da Geórgia. O monumento fica a 72 quilômetros de Atlanta e são visíveis da Rodovia 77 (Highway 77). O granito da região é um dos melhores de todo o mundo, clima moderado e a posição geográfica (ponto mais elevado do condado) foram essenciais para a sua construção.

Veja a localização exata no Google Maps.

As Pedras Guia da Geórgia, também conhecidas como Stonehenge Americano, medem 19 pés e 3 polegadas (5,88 metros), utilizam 951 pés cúbicos (26,93 m3) de granito e todas as seis pedras juntas pesam mais de 119 toneladas.

Nas pedras estão gravadas dez frases em oito idiomas: árabe, chinês, espanhol, hebraico, hindi, inglês, russo e suaíli. No topo estão gravadas pequenas mensagens em línguas antigas: babilônio, grego clássico, sânscrito e em hieróglifos egípcios.

Entre os idiomas escolhidos para as mensagens foram ignoradas línguas faladas por milhões de pessoas como alemão, francês, grego, japonês, italiano e português. A escolha dos idiomas mostra a preocupação em balancear regiões e religiões para o entendimento das mensagens. Por isso, estão incluídos o hebraico, com apenas 11 milhões de falantes, e o suaíli, principal idioma banto com 50 milhões de falantes na África oriental, mas que não chega nem perto do total de falantes do português - sexta língua mais falada no mundo (240 milhões de falantes), excluída das inscrições possivelmente pela proximidade lingüística ao idioma espanhol, uma das oito escolhidas.

O que está escrito nas Pedras Guia da Geórgia (Georgia Guidestones)?
As dez frases escritas em cada um das oito línguas modernas são:
1. Manter a humanidade abaixo de 500.000.000 em um balanço constante com a natureza.

2. Controlar a reprodução de maneira sábia - aperfeiçoando as condições físicas e a diversidade.

3. Unir a humanidade com um novo idioma vigente.

4. Controlar a paixão - fé - tradição - e todas as coisas com razão moderada.

5. Proteger povos e nações com leis e cortes justas.

6. Permitir que todas as nações regulem-se internamente, resolvendo disputas externas em uma corte mundial.

7. Evitar leis insignificantes e governantes desnecessários.

8. Balancear direitos pessoais com deveres sociais.

9. Valorizar a verdade - beleza - amor - procurando a harmonia com o infinito.

10. Não ser um câncer na terra - Deixar espaço para a natureza - Deixar espaço para a natureza.

História nas Pedras Guia da Geórgia (Georgia Guidestones)
A lenda sobre a construção do local começou em junho de 1979, quando um bem-vestido e articulado chamado Sr. Christian (Cristão) procurou pelos escritórios de Elberton o custo de se construir um grande monumento. A empresa Elberton Granite Finishing foi contrata para realizar a obra por essa pessoa misteriosa, sob o pseudônimo de R.C. Christian. Especula-se que as iniciais R e C significam a ordem Rosa-Cruz, fraternidade que teria suas origens no personagem mítico do século XIV Christian Rosenkreuz, chamado também de Irmão C.R.C.

O Sr. Cristão disse que representava um pequeno grupo de americanos leais que vivem fora de Geórgia e que desejavam permanecer no anonimato para sempre. Ele contou aos construtores que os patrocinadores tinham planejado o monumento por anos e que os dez pontos das Pedras Guiam eram um uma apelo a todos os povos para preservar a humanidade e o planeta.

O local escolhido deveria ser remoto e longe dos turistas das cidades locais. Além da fartura de excelente granito (um dos materiais mais usados para lápides), clima e localização, o Sr. Christian disse que a escolha era também pessoal. Sua bisavó tinha nascido na Geórgia.
As Pedras Guia da Geórgia foram inauguradas em março de 1980, com a presença de 100 pessoas. A propriedade do terreno onde se encontram os monumentos é obscura. No registro de imóveis do condado de Elbert indica que o próprio condado teria comprado o terreno de cerca de 2 hectares onde está localizado o monumento em 1º de outubro de 1979 por US$ 5 mil.

Nos últimos anos rituais de diversos tipos de grupos foram feitos no local, incluindo casamentos e reuniões de nativos, cristãos, pagãos, entre outros. Pessoas chegam ao monumento para meditar, visitar, fazer turismo, tentar decifrá-lo e até depreciá-lo. Em 2008, as pedras foram pichadas com a frase "Morte a Nova Ordem Mundial", "A elite quer matar 80% da humanidade", "Não ao Governo Mundial" e "Jesus prevalecerá".

Características astronômicas das Pedras Guia da Geórgia (Georgia Guidestones)
As quatro pedras exteriores são orientadas pela migração anual do Sol. Na coluna do centro há um furo onde Polaris pode sempre ser vista, se as condições de tempo permitirem. Polaris é a estrela mais brilhante da constelação Ursa Menor e popularmente conhecida como Estrela Polar - chamada assim por estar muito próxima ao Pólo Celeste. A estrela foi escolhida para simbolizar constância e a orientação com as forças da natureza. Há também nas pedras da Geórgia um entalhe que faz uma janela que alinha com os solstícios e equinócios (eventos que marcam os inícios das estações). Esta janela faz que o sol brilhe para indicar o meio-dia em uma linha curvada.

Tábua de instruções das Pedras Guia da Geórgia (Georgia Guidestones)
Além das inscrições existe uma tábua de instruções cravada no chão próxima ao monumento. A tábua identifica a estrutura, características astronômicas, patrocinadores (identificados na tábua apenas como "Um pequeno grupo de americanos que procuram a idade de razão") e as línguas usadas nas Pedras Guia da Geórgia. O mais intrigante são os dados de uma cápsula de tempo enterrada sob a tábua com espaço para preenchimento de quando a data foi/será enterrada e quando deve ser reaberta. A cápsula foi ou será enterrada conforme a instrução da tábua "a seis pés abaixo deste ponto". Cápsula do tempo é um recipiente completamente fechado para guardar mensagens e objetos para ser encontrados por gerações futuras.

Qual objetivo das Pedras Guia da Geórgia (Georgia Guidestones)?
Os críticos do monumento afirmam que as Pedras são "Os Dez mandamentos do Anticristo". Segundo eles, as pedras foram construídas por sociedades secretas satânicas com o objetivo de implementar a Nova Ordem Mundial. O ativista político John Conner conclamou a destruição das Pedras da Geórgia, e que o entulho deveria ser usado em outras obras. Já entre os que defendem as Pedras Guia da Geórgia está a viúva do ex-Beatle John Lennon. Yoko Ono disse que as mensagens inscritas são "Um importante chamada ao pensamento racional".


Nota: Qual o propósito deste monumento? Devemos esperar algo para o futuro? O que o misticismo diz sobre os acontecimentos e uma nova era para 2012? Fiquem atentos! Fiquem de olho.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Pedras_guia_da_Ge%C3%B3rgia

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

EUA: lei para fazer escutas no Facebook e Skype


Os EUA pretendem fazer nos serviços de comunicação através da Internet, como o Facebook e o Skype, o mesmo que já conseguem fazer com telefones ou correios electrónicos: filtrar as mensagens para detectar ameaças de terrorismo e à segurança do país. A lei está a ser preparada pela Administração de Barack Obama e será apresentada em breve ao Congresso, agora dominado pelo Partido Conservador, mas que deverá dar o aval à legislação.

"Estamos a falar de interceptações autorizadas por lei. Não queremos expandir a autoridade, mas preservar a nossa capacitar de executar a autoridade já existente para proteger o público e a segurança nacional", afirmou Valerie Caproni, conselheira-geral do FBI (Federal Bureau of Investigation), um dos organismos de segurança que está a preparar a lei para a Casa Branca.

A Presidência dos Estados Unidos ainda não aprovou qualquer ante-projecto de lei, mas os grupos de defesa das liberdades civis já estão alarmados, que não querem tecnologia com "uma porta das traseiras para a espionagem". É que, além das ameaças à privacidade, uma legislação deste tipo iria obrigar a mudanças na tecnologia usada nos chats de comunidades online, como o Facebook, de programas de comunicação via Internet, como o messenger, ou de software que permite chamadas telefónicas através da 'web', como o Skype.

Estas alterações vão aumentar os riscos de os cibernautas serem alvo de escutas ilegais ou de outros cibercrimes, devido às vulnerabilidades causadas pelas alterações impostas pela lei e pelas limitações que esta irá determinar no desenho e programação do 'software'. "Basicamente querem voltar no tempo e fazer serviços de Internet funcionar como um telefone", explicou à correspondente da Folha de São Paulo o director do programa para liberdade, segurança e tecnologia do Centro para Democracia e Tecnologia, Gregory Nojeim.

Fonte: Diário de Notícias (negritos meus para destaque)

Nota O Tempo Final: Se bem percebi, trata-se de estender e validar a espionagem a tudo quanto é pessoa. Todas as comunicações devem ser analisadas a fim de, supostamente, garantir a segurança dos cidadãos.

Quer queriam quer não, um efeito colateral existirá sempre: o controle sobre os movimentos, também daqueles que não representam ameaça alguma. Pelo menos, para já; assim que mude o paradigma e a definição do que é ameaça à sociedade e ao tão propalado 'bem comum', logo esta medida se entenderá como justificável de alargar até outros públicos-alvo...

E, será mais do que evidente que, no caso de se achar por bem, os movimentos e ações de eventuais suspeitos serão de imediato condicionados. Com certeza, até ao ponto de restringir o que podem comprar e vender...

Relacionar esta notícia com Apocalipse 13:16 será apenas uma forçada teoria da conspiração? Não, é apenas mais um pequeno passo. Ou um aviso.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Operação Chuva Global 2011: Sigamos em frente

Obrigado a todos por sua urgência em oração. Cremos que Deus te chamou para este momento. A Conferência Geral adotou esta iniciativa e, por isso, nós louvamos a Deus. Acreditamos que este é apenas o início de coisas maiores que estão por vir. Você poderá aprender mais sobre as iniciativas que a Conferência Geral está adotando pelos sites: www.revivalandreformation.org e www.reavivamentoereforma.com

A Operação Chuva Global 2011 começará dia 05 de janeiro de 2011 às 19:00 e continuar todas as noites até 15 de janeiro. Durante esse tempo nós não só queremos incentivar a unir-nos em oração, mas também a orarmos em pequenos grupos, sempre que possível. Queremos preencher este período de tempo com vários momentos de oração ao longo do dia.

Cada noite, queremos unir nossas orações sobre um tema específico. As cinco primeiras noites focaremos nossas orações pela chuva temporã. As últimas cinco noites focaremos nossas orações pela chuva serôdia. Os temas serão os seguintes:

Chuva Temporã

Noite 1: Orar por um espírito de perdão (05/01)
Noite 2: Orar por Arrependimento (06/01)
Noite 3: Orar por vitória sobre o pecado em nossas vidas (07/01)
Noite 4: Orar por uma Vida Devocional mais profunda (08/01)
Noite 5: Orar por um espírito de unidade na Igreja (09/01)

Chuva Serôdia:

Noite 6: Orar para a compreeder da Chuva Serôdia (10/01)
Noite 7: Orar pela Preparação para pregar as 3 Mensagens Angélicas (11/01)
Noite 8: Orar pelas almas que estão no pecado e no erro (12/01)
Noite 9: Orar por familiares e amigos para que voltem ao redil (13/01)
Noite 10: Orar por Ousadia para agir (14/01)

No sábado 15 de janeiro, recomendamos que cada igreja culmine a Operação Chuva Global 2011, da maneira que Deus conduzir. Pedimos também que todas as noites você envie-nos testemunhos do que está acontecendo em sua igreja, como resultado da oração unida. Na página OGR, você vai encontrar um documento que explica uma maneira de orar todas as noites. (Estamos trabalhando na tradução deste documento.)

Chuva de pássaros mortos volta a cair nos EUA

WASHINGTON (AFP) - Uma nova e inexplicável morte em massa de pássaros ocorreu nesta semana no sul dos Estados Unidos, desta vez no estado da Louisiana, anunciaram funcionários nesta terça-feira.

O último incidente afetou cerca de 500 pássaros que foram encontrados mortos no distrito de Pointe Coupee, disse Olivia Watkins, do Departamento de Vida Silvestre de Louisiana.

Watkins disse que há uma investigação em curso sobre a causa destas mortes, que ocorrem poucos dias após milhares de pássaros morrerem no estado vizinho de Arkansas.

"Enviamos amostras para um laboratório em Missouri (centro) e estamos esperando os resultados", disse.

No Arkansas também são esperados os resultados para descobrir a causa das mortes de 5 mil melros que caíram sobre o pequeno povoado de Beebe pouco depois da meia-noite do Ano Novo, assim como das mortes de cerca de 80 mil a 100 mil peixes que apareceram flutuando no rio Arkansas a 160 km.

"Não acreditamos que (as mortes dos peixes e dos pássaros) estejam relacionadas", disse Nancy Ledbetter, da Comissão de Caça e pesca do Arkansas. Funcionários destacaram que algum tipo de distúrbio - possivelmente os fogos de artifício do Ano Novo - pode ter levado os pássaros a voar durante a noite. Os melros têm pouca visão noturna e provavelmente morreram ao se chocarem contra casas ou árvores por causa do medo.

Os testes preliminares não mostram sinais de doenças nos pássaros e que suas mortes foram por "trauma físico agudo", segundo os funcionários do Arkansas.















Fonte:
Yahoo Notícias

Nota: O que virá? O que poderemos esperar com isso?

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Por que seu horóscopo está errado?

Já faz algum tempo que nossos horóscopos estão errados, o problema não é apenas com as previsões para 2011. Por quê? Basicamente, porque as estrelas não estão alinhadas da forma que os astrólogos acham. Nossos signos zodiacais – Áries, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes – são determinados pela constelação alinhada com o Sol no dia em que nascemos. Só que a Terra balança, algo que é conhecido pelos cientistas como precessão. Isso quer dizer que durante os últimos 2.500 anos, desde que os signos foram “estabelecidos”, seu signo se moveu, aproximadamente, um mês em relação ao Sol e as estrelas. Ou seja, você não é do signo que acha que é. E há um novo signo no céu desde então – Ophiuchus (ou Serpente) – que vem depois de escorpião. Então se você nasceu entre 29 de novembro e 17 de dezembro, seu signo é “novinho” em folha. [...]

(Hypescience)

Leia também: “Escrito nas estrelas?”

Fonte: Criacionismo